Fan Page - Compliance e Comunicação
Showcase Page - Compliance e Comunicação
Boletim Ambiental

Lava-Jato amplia preocupação com compliance

Com a relação entre empresas e governo mais uma vez no centro da crise política no país, a preocupação com a comunicação das regras de compliance das empresas, tanto para os funcionários quanto para o público em geral, volta a ganhar força. Um levantamento feito com executivos de diversas empresas apontou que a maioria acredita que a operação Lava-Jato aumentou a pressão sobre a necessidade de comunicar das chamadas ações de conformidade.

A pesquisa, realizada pela agência de comunicação CDN e o instituto de pesquisa Ideia Big Data com 94 executivos de diversos setores, apontou que 85% acreditam que as operações de combate à corrupção colocaram pressão nas companhias para comunicarem as políticas relacionadas ao tema.

“Os executivos sentem a necessidade de criar uma ponte entre as políticas de compliance e as pessoas. De transformar isso em uma atitude, para dentro da empresa e para fora”, afirma Yara Peres, vice-presidente da CDN.

Outro indicador de que o momento aumenta essa preocupação é o apontamento de que 83% dos presidentes, sócios-controladores e diretores pesquisados concordam que as companhias só se empenham em passar o conteúdo das políticas de compliance adiante durante momentos de crise.

Maurício Moura, presidente da Ideia Big Data, relata que os entrevistados apontaram que os gastos com compliance nos departamentos de comunicação aumentaram nos últimos dois anos, mas que representam menos de 10% dos desembolsos totais da área. “Há a compreensão pelos executivos de que é uma comunicação muito básica, de apenas publicar o código de ética no site. Eles acreditam que existe uma oportunidade muito grande para melhora.”

Essa necessidade, porém, não pode ser confundida com pressa. Yara destaca o risco de aplicar uma solução que pareça rápida. “A crise chega rápido, mas a solução não”, afirma.

Além da pressa, que pode ser confundida com a urgência de tomar uma atitude, a pesquisa identificou uma dificuldade em entender a importância da aplicação contínua dessas políticas, e não apenas nos momentos adversos. “A ideia de continuidade é o mais difícil de ser absorvida”, afirma Yara.

Link Curto: http://bit.ly/2r0vCZB

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*